09 em cada 10 pessoas no mundo respiram ar poluído. O que fazer então?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Você já ouviu falar na Síndrome dos Edifícios Doentes? Saiba como a poluição do ar de ambientes internos leva a prejuízos para a saúde e a economia

Você conhece a resolução da Anvisa sobre a análise da qualidade do ar de ambientes climatizados de uso coletivo? Essa norma se trata da Resolução 09, que foi publicada em 2003 e continua sendo muito necessária.

Infelizmente, estima-se que 9 entre 10 pessoas – ou seja, 90% da população mundial – respiram um ar de baixa qualidade, contaminado por microrganismos, partículas e substâncias que podem trazer danos à saúde, principalmente para as vias respiratórias.

Além da poluição atmosférica proveniente dos processos industriais, da geração de energia, dos veículos automotores, das queimas etc., o principal responsável pela baixa qualidade do ar que respiramos é o ar-condicionado, especialmente quando há uma manutenção deficiente.

A qualidade do ar em ambientes fechados

De acordo com a Anvisa, estima-se que cada pessoa passa dois terços de sua vida em ambientes climatizados, incluindo escritórios, cinemas, shopping centers, teatros, hospitais, aeroportos, trens e ônibus, entre outros.

Pensando nisso, a Resolução 09 desta agência reguladora foi elaborada com o objetivo de estabelecer padrões de controle para a qualidade do ar nesses ambientes, de forma a promover a saúde, a segurança e o bem-estar de seus ocupantes.

Segundo esse documento, para ser considerado aceitável, um ambiente deve estar livre de contaminantes em concentrações que representem ameaças à saúde ou, então, pelo menos 80% de seus ocupantes não devem apresentar queixas ou sintomas de desconforto.

análise da qualidade do ar

Para que isso seja possível, a resolução específica a frequência com que deve ser feita a higienização dos componentes do sistema de condicionamento de ar e ainda recomenda outras medidas para evitar a contaminação do ambiente.

Além disso, com o objetivo de garantir que esses cuidados sejam seguidos e verificar se eles estão sendo suficientes, a resolução define uma metodologia para a análise da qualidade do ar desses ambientes.

Como é feita a análise da qualidade do ar em ambientes internos

Com fins de avaliação e controle do ar de ambientes internos climatizados de uso coletivo, a Anvisa recomenda a pesquisa quantitativa de microrganismos, poeira e dióxido de carbono, além da medição de temperatura, umidade e velocidade do ar.

A avaliação de cada um desses parâmetros segue uma metodologia própria, conforme especificado pela Resolução 09, que inclui número de amostras, pontos amostrais, procedimentos laboratoriais e frequência das análises.

De forma geral, o documento define que análise da qualidade do ar deve ser feita semestralmente e com um número mínimo de amostras entre 8 e 25, variando conforme a metragem de área construída.

Para os fungos, por exemplo, a Resolução 09 determina que o ambiente pode ter no máximo 750 unidades formadoras de colônias por metro cúbico, sendo que não há tolerância para microrganismos patogênicos e toxigênicos.

Caso seja identificada alguma condição adversa em relação às normas, sua correção ficará a cargo do responsável técnico incumbido pelos proprietários ou locatários do lugar em questão.

Entenda melhor – Qualidade do ar interior: que poluição encontramos em lugares fechados?

Síndrome dos edifícios doentes: os prejuízos da contaminação do ar

Embora a análise da qualidade do ar seja recomendada para qualquer tipo de ambiente climatizado de uso coletivo, o local em que mais se sentem os prejuízos da poluição do ar interno são os escritórios – onde os danos afetam a saúde e a economia.

De acordo com a Associação Americana de Pneumologia, a poluição do ar interno gera perdas de 100 bilhões de dólares por ano nos EUA, resultado do absenteísmo, da diminuição da produtividade e das custas médicas para o tratamento de doenças.

Essa situação não é diferente no Brasil e no resto do mundo, tanto que ela deu origem à chamada “síndrome dos edifícios doentes”.

Essa síndrome consiste no conjunto de sintomas que se manifestam exclusivamente no local de trabalho, como irritação de olhos, pele e garganta, rinite, coriza, tosse seca, dor de cabeça, sonolência, fadiga, congestão nasal, falta de ar e dificuldades de concentração.

Quando esse quadro se manifesta em vários ocupantes de um mesmo local de trabalho, podemos dizer que, na verdade, quem está doente é o próprio escritório, mas isso tem consequências muito graves para as pessoas que o frequentam.

Em curto prazo, essa síndrome aumenta as chances de doenças como rinite e asma alérgicas, sinusite, infecções de garganta, conjuntivite, dermatites, resfriado, gripe, bronquite e pneumonia.

Um longo tempo de exposição a um edifício doente, por sua vez, tende a aumentar os riscos de desenvolvimento de problemas ainda mais graves, como alguns tipos de câncer, distúrbios congênitos, deficiências imunológicas e até mesmo dificuldades reprodutivas.

Veja também – Sintomas de sinusite: conheça as causas e os tratamentos.

Purificador de ar: um aliado essencial no combate à síndrome dos edifícios doentes

Além das medidas de manutenção e higienização dos aparelhos de ar-condicionado e da limpeza do escritório como um todo, existe mais um grande aliado no combate aos problemas de saúde causados pela poluição interna: o purificador de ar.

Os modelos mais modernos desses aparelhos, como o purificador de ar Sterilair, são capazes de eliminar fungos, bactérias, ácaros, grãos de pólen, partículas de poeira, fumaça, cheiro de cigarro e outros contaminantes do ambiente.

análise da qualidade do ar sterilair

Além disso, o modelo da Sterilair tem um baixo consumo de energia e pode ficar ligado 24 horas por dia, constantemente renovando o ar do ambiente e contribuindo para evitar os danos à saúde que impactam também na produtividade do escritório.

Você já conhecia a síndrome dos edifícios doentes? Acha que seu local de trabalho pode estar sofrendo com esse problema? Não deixe de conhecer as vantagens que o purificador de Sterilair oferece para o seu ambiente profissional!

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

Deixe uma resposta

Fechar Menu