Bronquite: Sintomas, Causas, Tratamento e mais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Bronquite é a inflamação dos brônquios, as vias aéreas que conduzem o ar inalado até os pulmões. Os sintomas da doença, tanto na forma aguda, quanto na crônica, são principalmente tosse, chiado no peito e dificuldade para respirar.

Para que você possa entender melhor sobre a bronquite e seu funcionamento no organismo, o blog do Sterilair preparou um post completo sobre o assunto. Saiba mais sobre os dois tipos de bronquite (aguda e crônica), causas e sintomas, como tratar e como o Sterilair pode ajudar nesse sentido.

O que é a bronquite?

A bronquite é uma inflamação nos brônquios, os tubos cartilaginosos que conduzem o oxigênio até o pulmão. A doença se instala quando os pequenos cílios que revestem o interior dos brônquios param de eliminar o muco das vias respiratórias. O excesso dessa excreção deixa o espaço pelo qual o ar passa parcialmente bloqueado.

Por isso, os brônquios ficam inflamados e contraídos, causando principalmente a tosse e o chiado no peito. Muitas vezes, os sintomas da bronquite são confundidos com os da asma, já que ambas afetam as vias respiratórias.

Entretanto, por mais que sejam parecidas, as doenças possuem diagnósticos diferentes, bem como o tratamento ideal para cada uma delas. Por isso, é ideal sempre procurar um médico para entender os sinais que estão te afetando.

Bronquite crônica e bronquite aguda: entenda as diferenças

A bronquite existe na forma crônica e aguda. A diferença entre as duas está no tempo de duração dos sintomas e no tratamento. Entenda as diferenças:

Bronquite crônica

A bronquite crônica é uma doença que faz parte do grupo DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica). A maior parte das pessoas nesta condição apresenta tosse com duração superior a três ou mais meses, três vezes por ano e durante dois anos consecutivos.

Normalmente, a bronquite crônica está fortemente associada ao consumo excessivo de cigarros ou à forte exposição à poluição. Nesses casos, os sintomas da doença voltam frequentemente e o paciente pode ter a condição pelo resto da vida.

Bronquite aguda

Mais comum e fácil de tratar, a bronquite aguda manifesta-se por uma infecção causada por um vírus ou uma bactéria que ataca as vias aéreas.

Também conhecida como resfriado torácico, a bronquite aguda pode ser uma consequência de algum resfriado que o paciente tenha, o que pode causar a tosse com duração de três semanas.

Os vírus e as bactérias que causam a bronquite podem ser transmitidos ao tossir ou por contato direto com o vírus. As crises também pode ser desencadeadas por contato com poeira, inseticidas e ácaros.

Fatores de risco da bronquite

Alguns fatores são considerados de risco quando falamos em bronquite. Confira alguns pontos que podem ajudar no desenvolvimento da doença:

  • Tabagismo: fumar (ativamente ou passivamente) aumenta os riscos de uma pessoa desenvolver a bronquite.
  • Poluição: ficar exposto a agentes poluentes pode causar irritação nos pulmões.
  • Imunidade baixa: pode ser a consequência de outra doença aguda, como a gripe, ou outra condição crônica, como o HIV.
  • Idade: bebês, crianças pequenas e idosos têm mais chances de contrair a bronquite.
  • Refluxo gástrico: doenças que causam refluxo gástrico e azia aumentam as chances de bronquite.
  • Pessoas não vacinadas: indivíduos não vacinados contra a gripe, por exemplo, têm maiores chances de contrair um vírus ou uma bactéria.

Sintomas da bronquite

Tanto a bronquite aguda quanto a crônica apresentam os mesmos sintomas. Saiba quais são:

  • Tosse.
  • Expectoração.
  • Ronco ou chiado no peito.
  • Fadiga.
  • Irritação na garganta.
  • Dificuldade para respirar e falta de ar.
  • Febre e calafrios.
  • Peito pesado.
  • Falta de apetite.

Outros sintomas que costumam aparecer na bronquite crônica:

  • Inchaço nos tornozelos, pés e pernas.
  • Lábios roxos.
  • Infecções respiratórias frequentes.

Prevenção da bronquite

Assim como os sintomas e as causas, o tratamento para a bronquite varia de caso a caso. Por outro lado, algumas práticas são fundamentais para evitar a inflamação dos brônquios pulmonares.

O tabaco, por exemplo, é um dos principais responsáveis pela bronquite, tanto na sua forma aguda, quanto crônica. Por isso, parar de fumar de uma vez por todas (ou pelo menos evitar contato com a fumaça) é um dos primeiros passos para prevenir a doença.

Outro ponto para evitar que os vírus e as bactérias cheguem às vias respiratórias é lavar sempre as mãos. Para quem é alérgico, é recomendado o uso de um purificador de ar para eliminar os microrganismos do ar e facilitar a respiração.

Nos meses mais secos, é válido caprichar na hidratação, e isso pode ser feito com inalação e bastante soro fisiológico.

Outra dica é ficar longe de inseticidas, sprays e perfumes, pois os elementos usados na composição desses produtos podem irritar as vias aéreas. Se você trabalha em um local onde há muito dessas partículas, ou até mesmo poeira, fumaça e gases, não pode abrir mão da máscara de proteção.

Em ambas as condições — aguda ou crônica –, é importante manter uma rotina de exercícios e uma dieta equilibrada, para manter um peso saudável e evitar problemas no futuro. Também é válido tomar todas as vacinas e fortalecer as defesas do organismo.

Diagnóstico da bronquite

O médico vai conseguir oferecer o diagnóstico a partir do seu histórico e sintomas. Por isso, tente chegar na consulta com algumas informações e otimizar o tempo do seu atendimento.

O profissional perguntará principalmente sobre os sintomas: frequência e duração dos períodos de tosse, falta de ar, dores e chiado no peito. Nessa hora, é importante deixar o médico a par dos hábitos como fumar, trabalhar exposto a poluentes e outras atividades de risco.

O médico vai auscultar os pulmões com o estetoscópio para detectar os ruídos respiratórios dos seus pulmões. Além disso, o profissional pode pedir exames de raio-x, teste de escarro e espirometria. Dessa forma, será possível entender as condições das estruturas do pulmão e diagnosticar da forma correta.

Tratamento da bronquite

Bronquite aguda

Para dar fim às crises de bronquite aguda, é fundamental hidratar as vias respiratórias com inalação e soro fisiológico. Ainda, por eliminar do ambiente agentes que aumentam os sintomas de irritabilidade nas vias respiratórias, purificadores de ar, como o Sterilair, contribuem para a melhora dos quadros de bronquite aguda.

Em casos mais críticos, os médicos receitam anti-inflamatórios, broncodilatadores e, nos casos de infecções com bactérias, antibióticos.

Bronquite crônica

Pessoas com bronquite crônica e diagnosticadas com DPOC podem precisar de medicamentos para facilitar a passagem de ar pelas vias aéreas e eliminar o muco. Os medicamentos incluem broncodilatadores (inalados) e esteroides (inalados ou em comprimidos).

Na bronquite crônica, é ainda mais importante cuidar da respiração. Por isso, seu médico pode prescrever um tratamento para ajudá-lo a respirar facilmente.

Perguntas frequentes sobre a bronquite Tire todas as suas dúvidas a respeito da bronquite.

1) A bronquite crônica tem cura?

A bronquite aguda pode ser curada de sete a dez dias. Entretanto, a tosse seca pode continuar por vários meses. Já nos casos de pessoas com bronquite crônica a recuperação é muito baixa — por isso, é tão importante começar o tratamento o quanto antes e interromper o hábito de fumar.

2) Bronquite é contagiosa?

Se a bronquite for provocada por vírus e bactérias, sim. Nesses casos, a transmissão da doença é como a da gripe.

3) Como identificar bronquite em bebês?

Bronquiolite é a inflamação dos bronquíolos em bebês menores de 2 anos. Para identificar essa doença, veja se a criança está com a respiração rápida, tosse e febre.

4) Quais são as possíveis complicações da bronquite?

Tanto a bronquite crônica quanto a bronquite aguda podem gerar uma pneumonia. Além disso, você também pode desenvolver broncoespasmo, enfisema pulmonar, insuficiência cardíaca no lado direito do coração e hipertensão pulmonar.

Saiba como o Sterilair ajuda a protegê-lo da bronquite aguda e crônica

Um ambiente com substâncias que podem desencadear uma crise de bronquite é o maior inimigo de quem sofre com a condição. Pensando nisso, o Sterilair pode ajudar diretamente o paciente a minimizar os efeitos da doença.

O Sterilair é um aparelho que elimina até 99,9% dos microrganismos suspensos no ar do cômodo, como vírus, fungos (mofo e bolor) e bactérias. Além disso, ele reduz significativamente a quantidade de ácaros.

A eficiência do Sterilair já foi comprovada por centros de pesquisa renomados que atuam em territórios nacionais e internacionais, como Universidade de São Paulo (USP), Instituto Pasteur, Fundação Oswaldo Cruz, Sociedade Francesa de Aerobiologia e New York Testing Laboratories.

O número de ácaros e impurezas contido no ar pode ser diminuído drasticamente com o uso do aparelho, o que pode ajudá-lo a prevenir a bronquite e outras doenças, como asma e rinite.

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *