Conjuntivite alérgica: entenda o que causa e melhore sua qualidade de vida!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Não há riscos de contaminação na conjuntivite alérgica, mas complicações podem agravar o quadro da doença

A conjuntivite é uma das doenças mais comuns ao longo da vida. Causada pela inflamação ou infecção da conjuntiva, membrana que cobre parte dos olhos, pode ser dividida entre conjuntivite alérgica, bacteriana ou viral.

Muito comum, a conjuntivite alérgica é facilmente causada por alérgenos aéreos, substâncias que podem estar presentes no ar e podem causar alergia. Assim que entram em contato com o olho, desencadeiam reações imunológicas que podem ser reconhecidas como os sintomas da doença.

Curiosamente, esse tipo de alergia ocular também pode estar associada a outras doenças alérgicas, como a rinite alérgica, asma ou até dermatite atópica. Ou seja, quem é acometido por essas alergias pode mais facilmente ser afetado pela conjuntivite alérgica.

conjuntivite alérgica

Não deixe de ver: 9 Dicas de limpeza doméstica para os alérgicos.

Confira as divisões da conjuntivite alérgica a seguir:

1- Conjuntivite alérgica aguda – Aparece de forma súbita logo após a pessoa entrar em contato com algum alérgeno conhecido, como pelo de animal ou pólen. É muito fácil de resolver, já que acontece de forma pontual e uma vez que o alérgeno é identificado, o quadro se resolve dentro de 24 horas.

2- Conjuntivite alérgica sazonal  – Alergia ocular com sintomas mais suaves, porém persistentes. Ou seja, que acontecem de maneira recorrente numa mesma época, como a primavera, período em que há mais pólen no ar.

3- Conjuntivite alérgica perene – Condição alérgica leve, crônica, persistente e ao longo de todo o ano. Está relacionada a alérgenos ambientais comuns, como ácaros, poeira, pelo de animal (se o paciente for dono de um) ou mofo.

Além dessas formas de inflamação ocular, outras formas mais raras de Conjuntivite Alérgica podem acontecer, são elas:

  • Ceratoconjuntivite atópica – Surge em uma porcentagem de pacientes com dermatite atópica.
  • Conjuntivite primaveril – Mais grave, costuma afetar crianças do sexo masculino que vivem em climas quentes, secos e subtropicais.
  • Conjuntivite papilar gigante – Acontece como uma espécie de intolerância a lentes de contato.

Veja também – Faxina doméstica: Mantenha a limpeza e a qualidade do ar em ambientes grandes.

Sintomas Mais Comuns

A coceira nos olhos é o verdadeiro cartão de visitas da Conjuntivite, seja ela alérgica, viral ou bacteriana. Inclusive, esse é um dos fatores que agravam a doença. Mas, você sabe quais outros sintomas acompanham uma conjuntivite alérgica?

Um dos sinais mais claros para identificar de uma vez por todas se você tem ou não a conjuntivite alérgica é que os sintomas acontecem simultaneamente nos dois olhos. Na viral e na bacteriana, eles aparecem primeiro em um dos olhos e, depois, contaminam o outro.

Outra particularidade é que não haver dor neste tipo de conjuntivite, no máximo uma queimação. Além de:

  • Vermelhidão nos olhos
  • inchaço na pálpebra
  • lacrimejamento
  • fotofobia (intolerância à luz)
  • Secreção aquosa nos olhos

Veja mais – 5 motivos para ter um esterilizador de ar!

Que Tipo De Prevenção Tomar?

Como a conjuntivite alérgica é causada pela exposição a um agente alérgeno, sua prevenção principal é evitar ao máximo a exposição a esses tipos de microrganismos.

Quem tem alergia a ácaros, por exemplo, deve prestar muita atenção na substituição das roupas de cama, lavagem constante de travesseiros e ainda um cuidado redobrado com a limpeza doméstica na remoção de poeira.  

A utilização de um purificador de ar também é um agente potencializador na prevenção contra a conjuntivite alérgica. Um modelo completo tem a capacidade de esterilizar o ar e eliminar alérgenos do convívio diário, como ácaros, fungos, bactérias e afins.

  conjuntivite alérgica esterilizador

E mais:

  • Evite o acúmulo de poeira em móveis e bichos de pelúcia. Se possível, remova carpetes, tapetes e até cortinas de pano (prefira persianas).
  • No lugar de varrer a casa, prefira utilizar um pano úmido para não levantar a poeira.
  • Lente de contato pode ser um perigo para quem tem conjuntivite crônica, já que alérgenos podem aderir às superfícies delas.

E você, já sofreu de conjuntivite alérgica? Como você faz para se prevenir? Conte para a gente nos comentários!

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

Deixe uma resposta

Fechar Menu