O que é o choque anafilático? Como proteger meu filho alérgico?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

7O choque anafilático é um colapso cardiorrespiratório desencadeado por uma forma muito grave de alergia. Saiba como evitar essa complicação tão perigosa

Você sabe o que é choque anafilático? Ele se trata da forma mais grave da anafilaxia, uma reação alérgica exagerada que pode levar à morte em pouco tempo se o tratamento não for imediato.

Toda alergia corresponde a uma reação exacerbada do organismo diante de uma substância confundida com um agente invasor, como poeira, pólen, pelos de animais ou determinadas proteínas de alguns alimentos. A anafilaxia, porém, é uma reação alérgica ainda mais intensa.

Qualquer pessoa pode ter uma reação anafilática, mas existe um risco maior para pessoas que já têm uma predisposição genética para as alergias e que sofrem de asma alérgica.

Causas da anafilaxia

Qualquer tipo de alérgeno pode causar uma reação anafilática, mas existem alguns que são mais comuns, por exemplo:

  • Alimentos: amendoim, nozes, castanhas, frutos do mar (camarão e outros), leite animal, ovo, gergelim, semente de mostarda, frutas, vegetais;
  • Pólens: ambrosia, gramíneas;
  • Medicamentos: antibióticos (penicilina, cefalosporina, sulfonamidas), anti-inflamatórios (dipirona, ácido acetilsalicílico, diclofenaco), anestésicos;
  • Picadas de insetos: abelha, vespa, formiga;
  • Outros elementos: látex, transfusão de sangue, exercícios físicos, sêmen, alimentos contaminados por ácaros.

o que é choque anafilático

Sintomas da anafilaxia

A anafilaxia começa como uma crise alérgica comum, com sintomas como coriza e coceira nos olhos, no nariz e no céu da boca. Contudo, cerca de 30 minutos depois, a pessoa começa a manifestar sintomas mais graves, incluindo:

  • Urticária (erupções avermelhadas na pele que causam coceira);
  • Inchaço dos lábios, língua e garganta;
  • Edema de glote;
  • Náusea e vômito;
  • Pele pálida e fria;
  • Pulso rápido;
  • Chiado no peito;
  • Tosse;
  • Queda de pressão;
  • Dificuldade de respiração;
  • Sensação de desmaio;
  • Tontura;
  • Confusão mental;
  • Perda da consciência.

Não deixe de ver – Doenças causadas por fungos: Livre-se destes problemas!

O que é choque anafilático: a forma mais grave da anafilaxia

Uma reação de anafilaxia muito intensa pode levar ao choque anafilático, um colapso cardiorrespiratório potencialmente fatal se o tratamento não for realizado em pouco tempo.

Essa reação geralmente acontece quando a pessoa tem queda de pressão, taquicardia e falência da circulação (os órgãos periféricos não recebem sangue suficiente). Em função disso, o funcionamento do coração fica desregulado, levando ao estado de choque anafilático.

O choque pode ou não ser acompanhado pelo edema de glote, quando a garganta se fecha e o ar não passa, podendo levar à morte pela sufocação. Outra complicação que pode ser fatal é o broncoespasmo (fechamento dos brônquios).

Tratamento da anafilaxia

Conhecer os sintomas da anafilaxia e saber o que é choque anafilático é o primeiro passo para que o tratamento seja bem-sucedido, pois é preciso agir rápido. Assim, se houver suspeita dessas condições, a pessoa deve ser levada imediatamente ao pronto-socorro.

Se a reação anafilática for confirmada, o tratamento de escolha na fase aguda é a injeção intramuscular de adrenalina acompanhada pela máscara de oxigênio e pelo restabelecimento do volume sanguíneo com aplicação de soro fisiológico.

Veja aqui – Como se dá o desenvolvimento de uma alergia? Posso adquirir ao longo da vida?

Como proteger seu filho alérgico

O diagnóstico da anafilaxia é ainda mais difícil nas crianças, pois, dependendo da faixa etária, elas podem não conseguir expressar seus sintomas. Por isso, agora que você sabe o que é choque anafilático, é importante também saber como proteger seu filho dessa complicação.

Confira as principais dicas:

  1. Ensinar a criança a não ingerir alimentos proibidos

Na primeira infância, os pais devem impedir que a criança ingira alimentos aos quais é alérgica e alimentos para os quais existe uma suspeita.

À medida que a criança cresce e passa a fazer suas próprias escolhas alimentares, ela deve saber reconhecer esses alimentos e as consequências do seu consumo, de modo a estar preparada para evitá-los.

  1. Ler com atenção o rótulo dos alimentos

Alguns alérgenos podem passar despercebidos aos pais ao aparecer com nomes diferentes na lista de ingredientes de um produto industrializado. Por exemplo: se a criança é alérgica ao corante amarelo, ela provavelmente não pode consumir o chamado “corante tartrazina”.

  1. Providenciar um cartão informativo sobre alergia a medicamentos

Quando se tem conhecimento de alergia a algum medicamento, deve-se solicitar ao médico alergologista um cartão contendo a lista de substâncias que não podem ser administradas à criança.

É conveniente incluir também o nome da criança, nome e telefone dos pais, nome e telefone do médico e endereço do centro de emergência para onde ela deve ser encaminhada.

  1. Utilizar um purificador de ar

Para crianças que têm alergias respiratórias, recomenda-se o uso de um purificador de ar capaz de eliminar as partículas perigosas, como pólen, ácaros, fungos, fumaça de cigarro, odor de animais de estimação etc.

Os aparelhos mais eficientes para garantir a proteção são aqueles que podem ficar ligados 24 horas por dia, como o purificador de ar Sterilair, que tem um baixo consumo de energia.

purificador de ar o que é choque anafilático

Confira mais – 01 solução para 09 problemas: O purificador de ar vai mudar a sua saúde!

  1. Portar um kit de adrenalina

Se o seu filho já teve reações alérgicas graves ou é alérgico a picadas de insetos ou a alimentos difíceis de excluir do cardápio, é essencial ter sempre à mão um kit de adrenalina para poder fazer a aplicação rápida caso haja suspeita de anafilaxia.

Essa é uma situação extrema, mas que pode salvar a vida da criança. Por isso, devem-se solicitar orientações sobre o kit e sobre como fazer a injeção ao médico alergologista, garantindo a aplicação correta em caso de emergência.

  1. Instruir a família e a escola sobre os cuidados com a alergia

Embora a criança possa ser orientada a não consumir determinados alimentos, os maiores responsáveis pela sua saúde são os adultos que estão ao seu redor, incluindo familiares, cuidadores e professores.

Por isso, a família e os cuidadores devem ter total conhecimento sobre os alimentos e medicamentos proibidos, assim como devem saber reconhecer sinais de anafilaxia e estar preparados para utilizar o kit de emergência se necessário.

Da mesma forma, a escola deve ser notificada sobre o risco de reação anafilática, as substâncias desencadeadoras, o uso do kit de emergência e o encaminhamento imediato da criança para um serviço médico de pronto-atendimento.

O choque anafilático é muito grave, mas ele pode ser prevenido e tratado com sucesso se a ação for rápida.

E você, já passou por um caso muito sério de alergia? Compartilhe conosco nos comentários.

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + 20 =