Qual a diferença entre asma e bronquite? Entenda os sintomas para identificar a doença no começo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Apesar das semelhanças nos sintomas, essas doenças são causadas por fatores diferentes. Conheça mais sobre elas para poder identificá-las

Uma inflamação nas vias aéreas que causa falta de ar, muco, tosse e chiado no peito: essa pode ser a descrição tanto da asma quanto da bronquite, duas doenças respiratórias que apresentam várias semelhanças, mas que na verdade são diferentes.

Da onde vem a confusão

Tanto a asma quanto a bronquite acontecem quando um agente irritante atinge os brônquios (estruturas 2 e 3 na imagem), os tubos que levam o ar da traqueia (1) para os pulmões (4 e 5).

A presença desse agente causa uma inflamação nos brônquios, com aumento da produção de muco para tentar impedir que a partícula chegue até o pulmão. Com isso, há um estreitamento do calibre desses tubos, causando falta de ar.

Como esse mecanismo acontece na asma e na bronquite, os sintomas dessas doenças são bem parecidos. Porém, cada uma tem seus próprios gatilhos, despertando diferentes reações do organismo.

Desde já, é importante saber que termo “bronquite” pode significar duas coisas. A primeira delas é o nome dado à inflamação dos brônquios, que acontece nas duas doenças. O segundo significado é a doença bronquite propriamente dita, que pode ser aguda ou crônica.

desenho de pulmão bronquite

O que é asma?

A asma é uma doença crônica de natureza alérgica, o que significa que o agente causador (poeira, pó, mofo, poluentes, entre outros) desperta uma reação exagerada do sistema imunológico ao atingir os brônquios.

Essa reação de hipersensibilidade causa uma inflamação dos brônquios, com aumento na produção de muco, e leva ao broncoespasmo (contração dos músculos da parede dos brônquios), o que reduz o calibre dos tubos e dificulta a passagem do ar.

A asma costuma surgir ainda na infância e pode melhorar espontaneamente conforme o sistema imunológico da pessoa se desenvolve ou com o tratamento adequado. O paciente asmático alterna períodos de crise com períodos de normalidade.

Os principais sintomas da asma são falta de ar, chiado no peito, tosse, respiração rápida e curta e desconforto torácico. Geralmente, os sintomas se agravam à noite, no começo da manhãe com as mudanças climáticas.

A falta de ar durante a prática de exercícios físicos ou em situações de estresse também são indícios da doença. A existência de familiares asmáticos, a rinite, a eczema e a sensibilidade a alérgenos que são inalados (como esporos, ácaros e pólen) são fatores de risco para a asma.

Veja também: Como se prevenir de alergias respiratórias!

O que é bronquite?

Diferente da asma, a bronquite não tem natureza alérgica, caracterizando-se pela inflamação dos brônquios sem a reação de hipersensibilidade. O sintoma que mais ajuda a identificar a bronquite é a tosse com catarro, mas ela também causa falta de ar.

A bronquite aguda costuma ser causada por uma infecção viral, como gripe ou resfriado, embora também possa ser causada por uma infecção bacteriana. Essa doença se trata de um episódio isolado que dura apenas alguns dias – diferente da asma, que é recorrente.

A bronquite crônica, porém, apresenta sintomas persistentes, por isso é mais fácil confundi-la com a asma (que também é crônica). Para a bronquite ser considerada crônica, os sintomas devem existir por pelo menos três meses durante dois anos consecutivos.

Nesse caso, a origem da inflamação está principalmente no tabagismo, que é responsável por 80% a 90% dos casos. Assim, a bronquite crônica atinge mais os adultos, enquanto a bronquite aguda pode acometer pessoas de qualquer idade.

Você também pode gostar de: Sintomas de alergia a mofo – Saiba o que você deve levar em consideração!

Entendendo mais sobre o que desencadeia a asma

Como vimos acima, a asma acontece devido a uma sensibilidade exagerada das vias aéreas inferiores diante de alguns fatores. Dependendo da natureza desses gatilhos, a asma pode ser classificada de diferentes formas.

A asma ocupacional, por exemplo, é desencadeada por substâncias às quais o paciente fica exposto no trabalho, como serragem, tintas e solventes. Outro tipo é a asma induzida por exercícios, na qual a atividade física desencadeia a crise.

Porém, o tipo mais comum é a asma alérgica, na qual a inflamação dos brônquios e o broncoespasmo acontecem devido a uma reação exagerada do sistema imunológico diante de partículas inofensivas, mas que são confundidas com ameaças – os chamados alérgenos.

Os alérgenos variam de pessoa para pessoa, mas os mais comuns são os ácaros que vivem na poeira doméstica e se alimentam das células que descamam da pele humana, fragmentos e fezes de insetos, mofo, esporos, pelos e penas de animais e o pólen.

Substâncias irritantes como a fumaça do cigarro, os poluentes, cheiros fortes e até mesmo o odor característico de animais de estimação também podem desencadear uma crise de asma, assim como uma mudança brusca de temperatura.

bombinha de asma e cigarro

Não deixe de ver: Cigarro e outros fatores que podem prejudicar o ar da sua casa!

Prevenção da asma e da bronquite

Por normalmente ser consequência de uma gripe ou resfriado, a prevenção da bronquite aguda consiste nas mesmas medidas adotadas para evitar essas infecções virais, como os cuidados com a higiene das mãos, uma alimentação saudável e a vacina.

Já no caso da bronquite crônica, a prevenção consiste principalmente em ficar longe do cigarro e, se possível, evitar a exposição à fumaça industrial e à poluição.

No caso da asma, a melhor forma de combater as crises é evitando o contato com os alérgenos, especialmente os ácaros da poeira doméstica. 

Além dessas medidas, um cuidado a mais para prevenir a asma e a bronquite é o uso constante de um purificador de ar, preferencialmente que faça a esterilização do ar por meio de altas temperaturas, como os modelos da Sterilair.

Esse tipo de mecanismo destrói os principais causadores dessas doenças, como ácaros, fungos, bactérias e vírus, e ainda deixa o ar livre de odores fortes, como os de animais de estimação, o “cheiro de fechado” e a fumaça de cigarro.

Por isso, se você ou alguém da sua família sofre com asma ou bronquite (ou mesmo com a rinite, que é um dos fatores de risco da asma), vale a pena contar com um purificador de ar para ajudar a prevenir as crises.

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

3 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *