Rinite alérgica x rinite crônica: como saber a diferença entre elas e adaptar o ambiente

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

A rinite alérgica pode ser uma rinite crônica, mas nem toda rinite crônica é necessariamente uma rinite alérgica

Quem sofre com rinite sabe que ela causa coriza e congestão nasal e atrapalha muito a qualidade de vida, prejudicando a produtividade no trabalho e o rendimento escolar. Porém, você sabia que existe mais de um tipo de rinite?

Quando falamos nessa doença, geralmente estamos nos referindo à rinite alérgica, que é a mais comum, mas ela também pode surgir devido a outros fatores. Além disso, a classificação das rinites varia conforme a sua duração, podendo ser aguda e crônica.

Existe certa confusão com os termos “rinite alérgica” e “rinite crônica”, mas hoje você vai entender a diferença entre eles e descobrir quais medidas você deve adotar para evitar esses problemas.

mulher assoando o nariz alergias respiratórias

Rinite alérgica x não alérgica

A rinite alérgica é resultado de uma reação exagerada do sistema imunológico ao confundir partículas inofensivas (alérgenos como pólen, grãos de poeira e mofo) com microrganismos causadores de doenças (reação de hipersensibilidade).

Assim, ocorre um ataque das células de defesa, a produção de anticorpos e a liberação de histamina, que causa os conhecidos sintomas de espirros, coriza, coceira, congestão nasal e lacrimejamento.

A rinite não alérgica tem esses mesmos sintomas (exceto a coceira), mas ela não envolve esse mecanismo de hipersensibilidade e não produz anticorpos contra os alérgenos.

Nesse caso, a rinite é resultado de uma inflamação da mucosa com dilatação dos vasos sanguíneos. Com isso, a mucosa fica inchada devido à maior presença de sangue e fluidos, levando à obstrução nasal.

Entre as causas mais comuns da rinite não alérgica, estão as infecções virais (como gripes e resfriados), alguns medicamentos nasais, alterações hormonais (principalmente na gestação), alimentos (rinite gustativa), odores fortes e até mesmo o frio.

Rinite aguda x rinite crônica

A diferença entre rinite aguda e rinite crônica está principalmente na duração das crises: a rinite aguda dura menos de 4 semanas, enquanto a rinite crônica dura mais de 12 semanas consecutivas.

Em geral, a rinite aguda é causada por infecções por vírus (como em gripes e resfriados) ou bactérias, mas ela também pode ser desencadeada por uma alergia.

A rinite crônica, por sua vez, é em um prolongamento de uma crise de rinite. Sua causa pode ser exposição contínua a um alérgeno, uma alteração anatômica (rinite atrófica e vasomotora), um resfriado e outras doenças infecciosas, a baixa umidade e partículas irritantes no ar.

Uma pessoa com rinite crônica está sempre com o nariz escorrendo, e seus sintomas podem causar obstruções nasais permanentes que podem levar à necessidade de tratamento cirúrgico para melhorar o fluxo aéreo nasal.

Qual é a relação entre a rinite alérgica e a rinite crônica?

A rinite alérgica é uma forma de rinite crônica, pois ela não tem cura – diferente de uma rinite aguda causada por um resfriado comum, por exemplo. Porém, nem toda rinite crônica é necessariamente uma rinite alérgica, já que ela pode ser causada por outros fatores.

Como explicamos acima, o que define a rinite como crônica é a sua duração, enquanto o que define a rinite como alérgica é a reação de hipersensibilidade diante do alérgeno – dessa forma, um tipo não exclui o outro.

Assim, quando há uma exposição prolongada às partículas que desencadeiam a rinite alérgica, ela pode ser caracterizada também como uma rinite crônica, com sintomas persistindo por mais de três meses.

Normalmente, a rinite crônica é acompanhada pela sinusite crônica, ou seja, a inflamação dos seios da face devido a uma infecção viral ou bacteriana ou a uma alergia que dura mais de 90 dias.

Além disso, essa doença causa um congestionamento nasal intenso que pode levar à formação de crostas, sangramento e secreção de consistência espessa e com pus, que apresenta odor desagradável – diferente da coriza, que é transparente, fluida e não tem cheiro. Confira também: Como tirar a umidade de ambientes fechados?

Como adaptar o ambiente para se livrar da rinite

A rinite alérgica não tem cura, mas é possível controlá-la e evitar as complicações da rinite crônica ao reduzir a exposição da pessoa aos alérgenos com algumas adaptações no ambiente, por exemplo:

  • Trocar carpetes por piso liso e tapetes comuns por tapetes de material antialérgico, que não acumulam pó e podem ser lavados facilmente;
  • Fazer a limpeza da casa pelo menos uma vez por semana e utilizar pano úmido e aspirador de pó em vez de vassoura e espanador;
  • Reduzir o número de objetos que acumulam poeira, como bichos de pelúcia, itens de decoração e almofadas, especialmente no quarto da pessoa alérgica;
  • Lavar e trocar a roupa de cama pelo menos uma vez por semana;

mulher assoando o nariz alergias respiratórias

  • Lavar cobertores e edredons com frequência e colocá-los no sol uma vez por semana;
  • Impedir a entrada de animais de estimação no quarto da pessoa alérgica;
  • Resolver problemas de infiltração para evitar a umidade excessiva e a consequente formação de mofo;
  • Abrir as janelas da casa para permitir a circulação do ar, especialmente em ambientes úmidos como banheiro, cozinha e área de serviço;
  • Manter apenas as peças de roupa e calçados que realmente são utilizados, de forma que o guarda-roupa não fique muito cheio e possa haver ventilação, evitando o mofo;
  • Não fumar e evitar a exposição à fumaça do cigarro.

Entenda com mais detalhes: Como se dá o desenvolvimento de uma alergia?

Purificador de ar: um aliado no combate à rinite

É praticamente impossível impedir que os alérgenos entrem na sua casa, pois você teria que passar o tempo todo limpando as superfícies, mas você pode contar com um bom aliado para isso: trata-se do purificador de ar.

Alguns modelos mais completos, como o da Sterilair, são capazes de eliminar ácaros, fungos, esporos, bactérias, poluentes e odor de cigarro e de animais de estimação, ou seja, os principais agentes causadores da rinite alérgica.

Por poder ficar ligado 24 horas por dia devido ao seu baixo consumo de energia, esse aparelho evita a exposição aos alérgenos, o que melhora o quadro de rinite alérgica e impede que o contato prolongado com os agentes irritativos leve a um quadro crônico.

Assim, somando as medidas de adaptação do ambiente com o uso de um purificador de ar, você e a sua família terão muito mais qualidade de vida, ficando longe das principais formas de rinite.

O que achou das nossas dicas? Não perca tempo e adquira agora mesmo o seu Sterilair!

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 1 =