Rinite crônica – Aprenda a identificar sintomas, causas e métodos de prevenção

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Uma das doenças respiratórias mais comuns, a rinite crônica não tem cura, mas pode ser controlada; Saiba como

Coriza, obstrução nasal, coceira intensa no nariz e espirros constantes. Difícil encontrar alguém que nunca apresentou alguns desses sintomas da rinite, que de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) atinge cerca de 30% da população. Mas, você sabe o que é uma rinite crônica?

Uma rinite pode ter vários tipos e causas, mas antes disso tudo ela se divide entre sua forma aguda e a crônica. Na aguda, pode ser identificada com os mesmos sintomas em uma gripe, dura menos de 4 semanas, enquanto a rinite crônica dura mais de 12 semanas consecutivas.

Nesse caso, o que define uma rinite, independente do seu tipo, se ela é ou não crônica, é a sua duração. A rinite crônica é em um prolongamento de uma crise de rinite.

Sua causa pode ser exposição contínua a um alérgeno, uma alteração anatômica (rinite atrófica e vasomotora), um resfriado e outras doenças infecciosas, a baixa umidade e partículas irritantes no ar.

Em um documento recente citado no IV Consenso Brasileiro Sobre Rinites 2017, a Academia Europeia de Alergia e Imunologia propôs a classificação das rinites crônicas baseando-se no principal agente causador. É constituída pelos 4 subgrupos a seguir:

1) Rinites infecciosas

Corresponde a uma inflamação da mucosa que reveste as fossas nasais, podendo ser provocada por uma grande variedade de agentes patogênicos microbianos. Geralmente causadas por vírus e menos frequentemente por bactérias.

2) Rinite alérgica

Forma mais comum, caracterizada por uma reação imunológica do corpo a partículas inaladas que são consideradas estranhas pelo organismo. Essas substâncias são chamadas de alérgenos.

rinite crônica

 

3) Rinite não alérgica não infecciosa

Quando o paciente não tem sinais de infecção ou sinais sistêmicos de inflamação alérgica, exemplos: rinite induzida por drogas, rinite do idoso, rinite hormonal, rinite da gestação, rinite ocupacional não alérgica, rinite gustatória, e rinite vasomotora.

4) Rinite mista

O nome assusta, não é? Mas quem sabe você já teve uma dessas. Ataca pacientes com rinite crônica, com mais de um agente causador.  É a rinite alérgica com a rinite vasomotora.

Ou seja: o paciente apresenta uma inflamação da mucosa nasal não apenas por sensibilidade alérgica a poeira, pelo, ácaro, fumaça de cigarro, perfumes, produtos químicos, etc. Assim como também, por mudanças bruscas de temperatura (do frio para o calor e do calor para o frio).

Entenda com mais detalhes: Como se dá o desenvolvimento de uma alergia?

Sintomas da Rinite Crônica

Como já explicamos anteriormente, o que caracteriza a rinite crônica é o prolongamento dos sintomas da rinite. Nessas crises, os sintomas mais comuns são os espirros frequentes, mas você também pode identificá-la pelos sintomas a seguir:

  • Tosse seca;
  • Espirros sucessivos;
  • Coriza;
  • Nariz entupido;
  • Olhos vermelhos, lacrimejantes e inchados;
  • Coceira no nariz;
  • Coceira na garganta e no céu da boca;
  • Diminuição da audição e do olfato;
  • Irritabilidade no nariz;
  • Perda do paladar;
  • Voz anasalada;
  • Dor de cabeça.

São fáceis de reconhecer, não é? Eventualmente, as irritações nasais causadas pela rinite crônica podem se tornar mais graves e até causar obstruções nasais permanentes.

Especialistas recomendam que, nestes casos, para diminuir as irritações, o paciente pode  recorrer a lavagens do nariz com soro fisiológico. Isso ajuda a limpar as vias aéreas.

Veja também – Como tirar a umidade? Aprenda de uma vez por todas!

A rinite crônica tem cura?

Não, infelizmente a rinite crônica não tem cura, mas claro que o paciente pode sempre adotar medidas de controle no seu tratamento da doença. Como? adotando medidas de proteção ao eliminar as causas dela: evitando cigarro, exposição exacerbada à poluição, ácaros, fungos, pelos de animais e bichos de pelúcia, poeira e pólen, por exemplo.

Além disso, o acompanhamento de um médico pode ainda ser mais eficiente diante do quadro de cada manifestação da doença. Nestes casos, podem ser receitados medicamentos, terapias imunológicas com vacinas, ou até cirurgias.

Medidas de Prevenção

Prevenir é melhor do que remediar, certo? Antes que as crises tomem conta, é necessário que você tome alguns cuidados em casa. Confira as dicas a seguir:

1 – Evite cheiros fortes

Talvez você fique surpreso com essa dica, mas sabia que cheiros fortes são uns dos principais gatilhos para uma crise de rinite? Sim, perfumes, produtos químicos e fumaça são um perigo para os alérgicos. Prefira sempre produtos de limpeza, perfumes, shampoos e sabonetes com cheiros suaves.

2 – Água quente para lavar roupas

Roupas, cortinas, tapetes e roupas de cama em geral devem ser lavadas com água quente. Essa é a forma mais eficiente de acabar com fungos e ácaros nessas peças.

3 – Sofás e camas sempre cobertos

Tem bichinho de estimação em casa? Então essa é indispensável para você. Como já falamos anteriormente, os pelos dos animais ajudam a desencadear crises, mantenha sempre a cama e os sofás cobertos com panos que você possa limpar facilmente.

Ainda assim, é importante evitar ao máximo que os bichinhos fiquem em cima das camas, poltronas, sofás e afins.

rinite crônica

Confira também – Como os ácaros surgem? Do que eles se alimentam? Entenda por que sua casa pode estar abrigando esses aracnídeos!

4 – Limpo e arejado

Você sabe que a dica principal para uma casa livre de gatilhos alérgicos é realmente a limpeza em dia e as janelas bem abertas. A circulação do ar ajuda a manter o ambiente menos propício para o desenvolvimento de fungos e bactérias que podem ajudar a piorar a rinite.

5 – Purificador de ar

Muitas vezes os inimigos da rinite crônica são invisíveis. Passeiam pelo ar e por mais que você mantenha a sua casal limpa, nós sabemos que não existe a possibilidade de passar as 24h do dia limpando tudo.

É aí que entra essa dica de ouro: um purificador de ar acaba sendo esse “vigilante” 24h do seu dia para você. Em modelos mais completos, como o Sterilair, o gasto de energia não assusta e pode ficar ligando durante todo o tempo para esterilizar o ar da sua casa.

Não confunda purificador com umidificador, a temperatura e a umidade do ambiente não são alterados nesses casos, as partículas poluídas de ar contaminadas de alérgenos entram no aparelho e são esterilizadas.

Ou seja, você pode ter um ambiente livre de fungos, ácaros e poluição em geral. Com todos os cuidados que você viu anteriormente, o purificador pode ser um aliado para potencializar a sua proteção.

O que achou das nossas dicas? Não perca tempo e adquira agora mesmo o seu Sterilair!

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

Deixe uma resposta

Fechar Menu