Rinite x rinite não alérgica: quais são as diferenças e como identificar?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Saiba ainda como se proteger das crises e manter uma qualidade de vida maior

Elas apresentam basicamente o mesmo tipo de sintoma: coriza, congestionamento nasal, espirros. Uma das doenças respiratórias mais comuns entre os brasileiros, a rinite pode ser causada de duas formas diferentes. Numa crise, você pode ser vítima de uma rinite alérgica ou de uma rinite não alérgica

Você sabe a diferença entre elas? Na verdade, o agente causador é o que determina o seu tipo e isso também pode influenciar a sua gravidade e tratamento. Saiba melhor sobre cada uma delas a seguir:

O que é Rinite não alérgica?

A rinite não alérgica é uma inflamação da mucosa, camada que reveste a cavidade nasal, causada por fatores que não são desencadeados por alergia. Ou seja, para se chegar ao diagnóstico, é preciso descartar antes os fatores alérgicos.

Apesar de os sintomas da rinite não alérgica serem os mesmos da alérgica, uma característica os diferencia: eles não são sazonais. Ou seja, não variam de acordo com as estações do ano. Por exemplo, a primavera pode ser um problema para os alérgicos, já que a quantidade de pólen no ar aumenta consideravelmente.

No geral, os sintomas da rinite não alérgica são a sensação de nariz congestionado, coceira no nariz, espirros, coriza, roncos e até a diminuição do olfato.  Já as causas desse tipo de rinite são as mais diversas, mas as mais comuns pode acontecer por conta de infecções virais, como gripes e resfriados.

Ainda assim, causas menos comuns também podem causar esse tipo de rinite, como a ingestão de alguns tipos de alimentos, hormônios (principalmente na gravidez), medicamentos, e até estresse no trabalho.

Além do tratamento com medicamentos, alguns hábitos adequados na sua rotina podem ajudar a melhorar o seu quadro quando estiver passando por um caso de rinite não alérgica, como a alimentação, por exemplo.

Especialistas recomendam chás e sopas, que ajudam a drenar os seios da face, diluindo o muco; laranja, limão, tangerina, abacaxi, uva, amora preta e morango, que são alimentos ricos em vitamina C; e peixes, já que o Omega 3 ajuda a combater inflamações. Lavagens nasais também são recomendadas.

rinite não alérgica

Leia mais: Como fazer lavagem nasal? é indicado? tire todas as suas dúvidas!

O que é Rinite alérgica?

Já a rinite alérgica acontece quando o nosso corpo reage a partículas estranhas inaladas, são os conhecidos alérgenos. O sistema imunológico do alérgico reage de maneira intensa a essas substâncias estranhas. Os sintomas da doença, são, na verdade, essas reações do corpo tentando se proteger.

Na crise desse tipo de rinite, a pessoa tem obstrução nasal, coriza, espirros e coceira no nariz. Hoje, já é possível afirmar que esse tipo de rinite tem um componente genético, isso quer dizer que se os pais têm rinite alérgica, é muito provável que seus filhos tenham grandes chances de ter também.

Mas, quais são essas substâncias alérgenas capazes de desencadear esse tipo de rinite? A mais predominante delas é a poeira, que costuma conter microrganismos em geral que se espalham facilmente pelos ambientes, logo depois o pólen, mas também alguns alimentos.

Na poeira, com a qual convivemos diariamente, é possível encontrar restos de pelos de animais, descamação da pele humana e de animais, restos de insetos, bactérias, fungos e ácaros – esses últimos, se adaptam ao ambiente domiciliar e proliferam com enorme facilidade em temperatura ambiente e locais úmidos.

Os sintomas da rinite alérgica podem aparecer durante todo o ano, mas são influenciados ainda mais dependendo da estação do ano. Existem épocas, como na primavera, que eles podem se intensificar. Sendo assim, para um tratamento eficiente da rinite alérgica, é necessário tomar alguns cuidados.

Três pontos principais ajudam os que sofrem deste mal: a higiene ambiental, remédios e até a imunoterapia, através de vacinas, por exemplo.

Por que a higiene ambiental pode ser muito eficiente nesse combate? Simples, ela é a forma mais básica para evitar o seu contato com as substâncias que desencadeiam os sintomas da rinite. Por isso, evite carpetes, cortinas, tapetes e bichos de pelúcia na sua casa, eles podem armazenar poeira e ácaros.

Deixe sempre os ambientes da sua casa arejados, prefira limpeza com panos úmidos no lugar de espanadores e vassouras e também evite produtos de limpeza, tintas e perfumes com odores muito fortes, além da fumaça do cigarro e inseticidas.

rinite não alérgica

Não deixe de ver – Vacina para alergia: como funciona? quais os efeitos? Conheça a imunoterapia

Purificador de ar no combate aos dois tipos de rinite

Ter um purificador de ar em casa pode te ajudar no caso das duas rinites. Os modelos mais completos, como o Sterilair, conseguem atender bem a demanda de esterilizar o ar de casa, funcionando como um auxiliar aos outros hábitos que você adotar.

Além disso, essa “purificação” do ar pode te ajudar a evitar totalmente seu contato com alérgenos e também com vírus e bactérias que podem pairar no ar. Vale a pena ter esse tipo de aparelho em casa porque para usufruir de sua eficiência você não precisa de nada, só ligar o aparelho na tomada.

No caso do Sterilair, por exemplo, você ainda conta com o seu pouco gasto de energia a seu favor, ou seja, você pode deixá-lo ligado 24h por dia e não vai ter que se preocupar com a conta de luz. E também dispensa o trabalho para cuidar da manutenção, que no caso desse tipo de aparelho é inexistente.

E você, sabia que existe diferenças entre a rinite e a rinite não alérgica?  Conta para a gente nos comentários o que você faz para se prevenir nos dois casos!

Leia ainda: Limpeza de tapetes, travesseiros e móveis: como evitar as alergias?

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

Deixe uma resposta

Fechar Menu