Quais são os tipos de umidade e a solução ideal para a sua saúde?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Entenda como esse fator, muitas vezes deixado em segundo plano, pode contribuir para aumentar ou diminuir a sua percepção de temperatura


Quando olhamos a previsão do tempo, muitas vezes nos preocupamos apenas com as temperaturas máxima e mínima. Entretanto, um fator fundamental que deveria ser observado são os diferentes tipos de umidade do ar.

Esse quesito é fundamental para que possamos compreender como de fato será o dia. Uma temperatura de 20 graus em uma cidade pode proporcionar uma sensação térmica completamente diferente em outra região.

Nesse artigo, compreenderemos como funciona a umidade do ar, também conhecida como umidade atmosférica, e como ela impacta diretamente na nossa saúde e na qualidade do ar que respiramos.

Entendendo a umidade do ar

A umidade do ar nada mais é do que a quantidade de vapor de água presente na atmosfera. Esse fator influencia diretamente medidas como temperatura, sensação térmica e precipitação (o índice que mede a probabilidade de chuva).

A umidade atmosférica, por sua vez, sofre influência de muitos fatores, como a proximidade do mar, o continente, o deslocamento das massas de ar e o tipo de vegetação existente na região.

É por essa razão que uma temperatura de 30 graus na praia, por exemplo, pode dar a sensação de um clima muito mais ameno do que a mesma temperatura na cidade. A razão para que isso ocorra é que falamos de ambientes com diferentes umidades.

Em locais próximos ao mar ou mesmo cidades com rios, a evaporação da água tende a ser maior. Por essa razão, a umidade do ar no litoral é mais elevada do que nos centros urbanos. Isso torna a temperatura mais constante.

homem e mulher sentados perto do mar tomando sol e observando a paisagem

Leia também – Como as mudanças climáticas influenciam na sua saúde?

A umidade do ar influencia as variações de temperatura

Quanto maior for a umidade do ar, menor será a amplitude térmica. Na prática, isso significa que a locais como o litoral, por exemplo, em que a umidade do ar [e maior, costumam ter menos variações de temperatura.

Por outro lado, o oposto também ocorre. Nos desertos, onde a umidade do ar é muito baixa, a amplitude térmica é alta. É por essa razão que temos temperaturas de 40 graus durante o dia e -5 graus à noite, por exemplo.

Em resumo: locais com baixa umidade do ar tendem a ser mais secos e com poucas chuvas. Locais com umidade do ar mais alta são mais úmidos e têm mais chuvas. Agora já dá pra ver relação direta com o nosso dia a dia, não é mesmo?

Veja também – Confira o mapa da poluição em São Paulo e como você pode amenizar esse problema

Como é classificada a umidade do ar?

Basicamente, existem dois tipos de umidade do ar. A Umidade Absoluta do Ar e a Umidade Relativa do Ar. Vamos compreender o que significa cada um desses conceitos.

A Umidade Absoluta do Ar é a quantidade total de vapor de água existente no ar. Porém, essa característica é melhor compreendida quando colocamos as coisas em valores relativos, como é o caso da Umidade Relativa do Ar.

Nesse caso, mede-se a quantidade existente, mas atribui-se a ela um valor percentual possível em relação ao todo. Assim, 0% indica ausência de vapor de água e 100% indica quantidade máxima de água.

Entre os dois tipos de umidade do ar, o segundo é o mais utilizado e conhecido. Portanto, ao conferir as medições de temperatura, note se não há uma indicação também da umidade relativa do ar.

A umidade do ar e a sua saúde

Com a umidade do ar mais baixa, o ar tende a ficar mais seco. E o ar seco é um prato cheio para que sejamos acometidos por doenças respiratórias como bronquite, sinusite, rinite, alergias e até mesmo sangramento nasal.

O vapor de água presente no ar lubrifica as nossas narinas e torna o ato de respirar em condições adversas menos incômodo. Porém, ambientes secos também são mais propícios para a proliferação de fungos e bactérias.

Veja também – Como combater os microrganismos que causam doenças respiratórias

Dessa forma, contar com um purificador de ar em casa torna-se uma das melhores armas para combater os males causados por esses microrganismos. A função de um purificador de ar é esterilizar o ar, eliminando esses elementos alergênicos.

No caso do purificador de ar Sterilair, o índice de extermínio dos microrganismos chega a 99%. O ideal, portanto, é considerar a colocação de um aparelho como esse nos principais cômodos da sua casa, como a sala e o quarto.

O funcionamento do Sterilair é atestado por diversas instituições de renome, tendo recebido certificações de centros científicos e laboratórios de países como França, Japão e Estados Unidos. Todos os laudos podem ser consultados aqui.

Ele também foi aprovado por diversas instituições nacionais, como o Laboratório de Acarologia da USP, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas e a Fundação Oswaldo Cruz, que utilizada a mesma metodologia rigorosa da NASA.

Para quem tem problemas respiratórios, esse é um dos melhores investimentos a se fazer. Por um valor acessível, você adquire um produto capaz de melhorar as suas noites de sono e de fazer você economizar em descongestionantes e medicamentos.

A dica vale para moradores de todas as cidades, mas se você está em uma região em que a umidade do ar é mais baixa, então redobre a sua atenção. Respirar um ar mais saudável é o primeiro passo para aumentar a qualidade de vida.

Já pensou respirar melhor e ter uma sensação de bem estar dentro de ambientes fechados?

Livre-se dos vírus, bactérias e mofos presentes no ar. Tenha o ar puro que sua família merece!
Oferta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *